sábado, 9 de fevereiro de 2008

Barragem de Póvoa e Meadas - Falta de obras pode prejudicar abastecimento de água a oito concelhos





Portalegre, 07 Fev (Lusa) - O abastecimento de água a oito concelhos de Portalegre poderá estar em causa em anos de seca, por falta de obras de reabilitação e requalificação na barragem de Póvoa e Meadas, alertaram à agência Lusa responsáveis regionais.
Em resposta a um requerimento apresentado pelos deputados do PS eleitos por Portalegre, Ceia da Silva e Miranda Calha, o Ministério do Ambiente, do Ordenamento do Território e do Desenvolvimento Regional (MAOTDR), disse não ser possível perspectivar datas para as respectivas obras.
"Não é possível perspectivar datas para as obras de requalificação, nem para a sua conclusão", lê-se na missiva enviada aos deputados, a que a agência Lusa teve hoje acesso.
Em declarações à Lusa, o administrador-delegado da empresa Águas do Norte Alentejano (AdNA), Octávio Almeida, defendeu que tais obras devem ser executadas com urgência porque junto ao paredão da barragem se registam várias perdas de água.
A concessão da barragem de Póvoa e Meadas está ainda entregue à empresa EDP, mas deveria ter sido restituída ao Estado durante o ano de 2002, período em que cessou o prazo de exploração para a produção de energia naquela albufeira.
Segundo sustenta o MAOTDR, o Instituto da Água (INAG) solicitou à EDP, há mais de um ano, um estudo sobre caudais e volumes de armazenamento que permitisse o início de procedimentos para avançar com as obras de reparação, mas aquela empresa ainda não respondeu.
"Estes estudos foram solicitados à EDP em 24 de Outubro de 2006, pelo INAG, não tendo ainda sido entregues", lê-se no documento enviado aos dois deputados do PS.
A EDP, que, ao contrário do que a Portaria 295 de 2002 do Ministério do Ambiente exigia, ainda não executou obras de reparação na albufeira, tem efectuado, ao longo dos anos, várias descargas de água.
Um cenário que, na opinião do administrador-delegado da AdNA, é "preocupante" e vem juntar-se ao grave problema das perdas de água.
"No dia 5 de Novembro de 2007 efectuaram descargas, deixando a albufeira com níveis abaixo dos 18 metros", denunciou o mesmo responsável da empresa de águas.
A barragem de Póvoa e Meadas é um dos pilares do sistema multimunicipal da AdNA, que investiu na construção naquele espaço de uma Estação de Tratamento de Águas (ETA) e em vários quilómetros de condutas para levar a água a oito concelhos do distrito de Portalegre (Nisa, Crato, Alter do Chão, Fronteira, Avis, Sousel e Ponte de Sor).
Segundo Octávio Almeida, se surgir um ano de seca extrema e se o cenário persistir, o abastecimento de água a esses oito concelhos poderá estar em causa.
"É uma situação preocupante. Se não houver luz verde para as obras, o abastecimento de água a estes concelhos, em anos de seca, poderá ser complicado", disse.
Por sua vez, Ceia da Silva garantiu à Lusa que, juntamente com Miranda Calha, vão "continuar a lutar para que este projecte avance".
"Vamos continuar a questionar o Governo e outras entidades sobre este processo. Não vamos baixar os braços", afiançou.

© 2008 LUSA - Agência de Notícias de Portugal, S.A.
2008-02-07 19:00:02

Etiquetas: , ,

0 Comentários:

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial

banner for http://www.eurobilltracker.com