quinta-feira, 22 de outubro de 2009

Decisão sobre encerramento da Delphi de Ponte de Sôr adiada uma semana


A administração da Delphi adiou para a próxima semana a decisão de encerramento da unidade de Ponte de Sôr, Portalegre, prevista para o final do ano, com os sindicatos a avisarem que qualquer solução alternativa não poderá passar por reduções salariais.


De acordo com o Sindicato dos Trabalhadores da Química, Farmacêutica, Petróleo e Gás (SINQUIFA), a administração da Delphi está a estudar a possibilidade de encontrar uma outra actividade para a fábrica, a fim de manter os postos de trabalho, mas a proposta concreta apenas será apresentada durante a próxima semana.


O SINQUIFA foi um dos três sindicatos que hoje foram recebidos na sede em Lisboa da multinacional norte-americana para saber a situação da fábrica de Ponte de Sôr, uma das cinco unidades em Portugal da fabricante de componentes automóveis cuja actividade vai ser reestruturada até ao final do ano.


No decorrer da reunião, segundo o sindicalista Delfim Mendes, a administração procurou saber se os trabalhadores teriam disponibilidade para «reduzir condições de trabalho e salariais».
«Dissemos à administração que qualquer alternativa que implicasse a perda de remuneração não teria pés para andar», disse Delfim Mendes.


De acordo com o SINQUIFA, o estudo de uma actividade alternativa para manter os postos de trabalho «é positivo» mas apenas se for um «projecto sustentável» e não «apenas para continuar a actividade artificialmente para daqui a uns meses encerrar».


Os trabalhadores vão reunir-se sexta-feira em plenário para que todos fiquem a conhecer a proposta da administração. Caso os trabalhadores não aceitem a proposta da administração, o cenário mais provável é o encerramento da fábrica e o despedimento colectivo de 439 operários efectivos.


A reunião desta manhã aconteceu depois de na quarta-feira a administração da Delphi ter anunciado que na fábrica da Guarda, que fabrica cablagens para o sector automóvel e emprega 950 trabalhadores, vão ser despedidos 500 operários entre o final do ano e o primeiro trimestre de 2010.


A fábrica de Ponte de Sôr, que emprega 439 operários efectivos, produz apoios, volantes, airbags, mecanismos para portas de correr automatizadas e sistemas de protecção de ocupantes para vários modelos de veículos automóveis.


A Delphi tem cinco fábricas em Portugal: Guarda, Portalegre, Seixal, Castelo Branco e Braga.


Lusa / SOL

0 Comentários:

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial

banner for http://www.eurobilltracker.com