quarta-feira, 17 de setembro de 2008

Luís Gonçalves - Jovem da Alagoa conquista prata olímpica




Foi no Sábado que o jovem de 20 anos, natural da Alagoa, conquistou a sua primeira subida ao pódio numa prova olímpica. Depois de terminar (com 50,15s) a competição dos 400 metros T12, Luís Gonçalves garantiu, desde logo, o terceiro lugar na prova e a correspondente medalha de bronze. No entanto, o chinês Li Yansong, que tinha conquistado o primeiro lugar, foi desclassificado por pisar a linha interior da pista, infringindo, desta forma, uma das regras da competição. Com esta penalização, o alemão Matthias Schroeder saltou para o ouro e, por consequente, Luís Gonçalves viu a medalha de bronze "transformar-se" em prata. O talento de Luís Gonçalves fica assim espelhado num dos maiores palcos desportivos de todo o planeta e a sua juventude (20 anos) promete ainda mais conquistas, abrindo portas a um futuro de vitórias, medalhas e realização pessoal.

Em conversa com o nosso jornal, na véspera de partir para Pequim, Luís Gonçalves fez questão de frisar que não ia prometer medalhas, apenas trabalho, empenho e determinação, três características que quando reunidas podem mover montanhas. Tal como prometeu, o atleta português cumpriu e o seu esforço foi premiado com uma medalha de prata, a sexta conquistada pelo país das quinas nos Jogos Paraolímpicos de Pequim 2008.

Na verdade, esta pode bem ser a primeira de muitas insígnias do atleta alentejano. No entanto, o mesmo não se repetirá nos Jogos Paraolímpicos Pequim 2008. Infelizmente, o atleta já não conseguiu marcar presença na final dos 200 metros. Apesar de ter batido, no Domingo, o seu recorde pessoal, fazendo 22,83s, o tempo não foi suficiente para o jovem ser qualificado para a final.
Já na estafeta 4X100 metros, a selecção das quinas não conseguiu atingir o objectivo desejado. Ontem, a equipa composta por Luís Gonçalves, Carlos Lopes, Gabriel Potra e Firmino Baptista foi desclassificada na sequência de uma passagem de testemunho irregular. Sem nada o fazer esperar, no final do primeiro percurso, Gabriel Potra tropeçou em Nuno Alpiarça que guiava Carlos Lopes e caiu. Com o atleta no chão, o guia apanhou o testemunho, o que violou um dos artigos da Federação Internacional de Atletismo e levou à desqualificação da equipa.

Apesar de tudo, Luís Gonçalves vai trazer uma merecida medalha. Um sucesso e uma conquista que já atingiram no nosso País um justo reconhecimento e mediatismo. As televisões e jornais têm mostrado aos portugueses o empenho e a dedicação do jovem atleta alentejano e, ao mesmo tempo, trazido até nós as suas reacções a esta vitória.

À Agência Lusa, Luís Gonçalves disse que "o meu sonho de criança era vir aos Jogos Paraolímpicos e consegui. A outra parte do sonho, conquistar uma medalha de ouro, é mais complicada", confessou, acrescentando que ""apesar de tudo, a prata sabe a ouro".

Aos enviados da RTP, o atleta português mostrou-se, mais uma vez, muito humilde, afirmando que "continuo na mesma. Sinto-me um pouco mais orgulhoso, por ter sido um dos medalhados, por participar pela primeira vez nos Jogos e por ter dado uma medalha ao atletismo", frisou o alentejano, que recebeu rasgados elogios do seu treinador Nuno Alpiarça.
Apesar do leque já vasto de medalhas, esta é, sem dúvida, uma das mais importantes no currículo do jovem atleta da Alagoa, mais uma num trajecto que promete ser de grande sucesso. Parabéns Luís!

Mãe orgulhosa e muito feliz

Na sequência da conquista da medalha de prata nos 400 metros, o nosso jornal visitou a Alagoa e falou com Teresa Gonçalves, a mãe do atleta. Visivelmente orgulhosa, Teresa não conseguiu esconder a emoção quando recordou o momento em que o filho lhe telefonou para contar o sucedido. Na verdade, a mãe já sabia. Acompanha todos os passos do filho através da internet e quando recebeu o telefonema já calculava quem fosse. "Consegui!", disse Luís assim que ouviu a voz da sua mãe, partilhando a emoção desta grande conquista. Teresa só lamenta que, ao contrário do que acontece com os Jogos Olímpicos, as provas nunca sejam transmitidas em directo. Mas mesmo assim garante que não consegue explicar a felicidade que sentiu.

Na verdade, Carlos Gonçalves, o pai, era o único que "sempre teve a certeza" que o seu filho traria uma medalha para casa. Nem o atleta, nem a mãe estavam à espera. "Sei que ele é muito bom, mas prefiro não ter muitas expectativas. Assim sabe sempre melhor", confessou Teresa Gonçalves.

Na sequência da conquista da medalha de prata nos 400 metros, o nosso jornal visitou a Alagoa e falou com Teresa Gonçalves, a mãe do atleta. Visivelmente orgulhosa, Teresa não conseguiu esconder a emoção quando recordou o momento em que o filho lhe telefonou para contar o sucedido. Na verdade, a mãe já sabia. Acompanha todos os passos do filho através da internet e quando recebeu o telefonema já calculava quem fosse. "Consegui!", disse Luís assim que ouviu a voz da sua mãe, partilhando a emoção desta grande conquista. Teresa só lamenta que, ao contrário do que acontece com os Jogos Olímpicos, as provas nunca sejam transmitidas em directo. Mas mesmo assim garante que não consegue explicar a felicidade que sentiu.

Na verdade, Carlos Gonçalves, o pai, era o único que "sempre teve a certeza" que o seu filho traria uma medalha para casa. Nem o atleta, nem a mãe estavam à espera. "Sei que ele é muito bom, mas prefiro não ter muitas expectativas. Assim sabe sempre melhor", confessou Teresa Gonçalves.

Desde que Luís conquistou a medalha, família, amigos e vizinhos não pararam de dar força aos pais do atleta. A população tem mesmo acarinhado os familiares mais próximos do jovem.
Fazendo uma viagem ao passado, Teresa disse ao nosso jornal que o Luís sempre mostrou um grande potencial. "Ele ia correr sozinho. Uma vez uma colega disse-me que o tinha visto em Castelo de Vide. Quando cheguei a casa e ele confirmou fartei-me de ralhar", contou, revelando ainda que o jovem mostrou sempre uma grande predisposição para o futebol. "Os colegas ficavam espantados pela forma como ele conseguia conduzir a bola", afiançou.

Quanto ao futuro, a mãe mostra-se receosa. Na verdade, e tal como Luís nos disse antes de viajar, não é possível viver apenas do atletismo e o jovem continua desempregado. Apesar disso, Teresa tem expectativas que, no seu regresso, Luís tenha mais sorte que até então.

Desde que Luís conquistou a medalha, família, amigos e vizinhos não pararam de dar força aos pais do atleta. A população tem mesmo acarinhado os familiares mais próximos do jovem.
Fazendo uma viagem ao passado, Teresa disse ao nosso jornal que o Luís sempre mostrou um grande potencial. "Ele ia correr sozinho. Uma vez uma colega disse-me que o tinha visto em Castelo de Vide. Quando cheguei a casa e ele confirmou fartei-me de ralhar", contou, revelando ainda que o jovem mostrou sempre uma grande predisposição para o futebol. "Os colegas ficavam espantados pela forma como ele conseguia conduzir a bola", afiançou.

Quanto ao futuro, a mãe mostra-se receosa. Na verdade, e tal como Luís nos disse antes de viajar, não é possível viver apenas do atletismo e o jovem continua desempregado. Apesar disso, Teresa tem expectativas que, no seu regresso, Luís tenha mais sorte que até então.
Texto e fotos de André Relvas - Jornal Fonte Nova

0 Comentários:

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial

banner for http://www.eurobilltracker.com